Curiosidades Séries e TV

Entrevista | Música da Minha Vida

Estreou na noite de ontem (16) a série Música da Minha Vida, produção baiana feita em parceria da TVE com a produtora Santo Guerreiro. O lançamento foi aberto ao público, e tivemos o prazer de entrevistar alguns membros da equipe:

Plataforma 42: De onde surgiu a ideia inicial da série?

Maurício Ramos (roteirista): “Eu tinha recebido um convite da Santo Guerreiro para produzir uma série e entrar nos editais da ANCINE. Então, apresentei cinco propostas, e uma dessas propostas era Música da Minha Vida. Depois, desenvolvi uma sinopse e essa sinopse foi discutida dentro de uma oficina de roteiro para iniciantes, numa comunidade. Na verdade, essa era uma exigência do edital… Que o argumento fosse debatido entre jovens da periferia de fato. E foi lá que desenvolvi a ideia”

Plataforma 42: Dentre tantos outros filmes e séries sobre Salvador, qual seria o principal destaque de Música da Minha Vida?

Maurício Ramos: “É uma série mais ligada ao contexto real, sem caricatura. As outras séries e filmes acabam atendendo, de certa forma, a necessidade dos outros estados de verem a caricatura do baiano… Mas essa série não. Ela retrata o baiano do jeito que o baiano é. A grande diferença é essa… É uma série que fala de esperança. Não é um “favela-movie”. A série fala sobre jovens da periferia, que enfrentam as adversidades, mas escolhem o caminho do estudo, da arte, da música, pra dar certo…”

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e violão

Flávio Gonçalves (diretor da TVE): “É muito importante que o povo se veja na TV. E aqui na Bahia, a TVE vem fazendo esse esforço, de dar espaço pra mostrar o que acontece por aqui. E Música da Minha Vida vai ser exibido não só na Bahia, mas no país todo! Uma outra coisa interessante é que sempre que damos oportunidade pra juventude, como essa obra deu, com certeza vão surgir muitos músicos, atores, e artistas a partir de Musica da Minha Vida.  Então, acho que o grande destaque é dar oportunidade pra juventude se expressar e o surgimento de novos talentos”

Plataforma 42:  Que tipo de influência a Música da Minha Vida pode trazer pra os telespectadores da série?

Flávio Gonçalves: “A televisão tem um poder muito grande de influenciar o que a gente pensa, o que a gente deseja, os nossos exemplos… Então, se um jogador de futebol é um exemplo, com certeza é porque as pessoas assistem ele pela televisão. Quando vemos uma série como essa, com a juventude produzindo, mostrando e fazendo, tenho certeza que eles vão ver, vão se identificar, e vão querer, quem sabe amanhã ou depois, seguir o caminho desses meninos que participaram da Música da Minha Vida. Com certeza, muitos novos talentos podem surgir depois disso.”

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas no palco

Plataforma 42: Conte um pouquinho sobre sua personagem, a Dona Carmelita…

Claudia di Moura (Atriz): “Dona Carmelita é uma senhora da comunidade que teve filha muito cedo, e que perdeu essa filha pras drogas, e essa filha também engravida cedo, desaparece  e termina deixando dona Carmelita com esse neto, que ela cria com muita paixão, mas com certo medo da história se repetir… É por isso que ela imprime mais energicamente esses valores na vida de Zé… ”

Plataforma 42:  Pelo que podemos perceber, ela é avó de Zé, mas parecer exercer um papel mais de mãe..

Claudia di Moura: “Carmelita termina sendo a grande referência de Zé. Acaba sendo também dos amigos, né? Como ela é uma avó jovem, ela é dura… Mas ela tem também muita doçura, muita meiguice. Eles se têm um ao outro.  Ele cuida dela, ela cuida dele.  Zé viu essa avó na labuta desde sempre. O mantra dela é ‘você precisa entrar numa universidade pública, você não pode ganhar o caminho da sua mãe, porque eu talvez não suporte essas duas perdas’. Carmelita é fundamental na série. Porque chega um momento que a banda estoura, e aí começam as turnês, e ela bate pé firme que Zé só vai se ela for. Ela é a mãezona, o seio que acolhe, a voz que intervem por eles… Observe que na série aparece apenas Carmelita e o pai do Beto… Maurício não quis deixar de fora essa instituição familiar, essa raiz, que é a família. Ele ressalta a importância da família em todos os momentos da vida da gente, principalmente na hora das decisões, que é o que está acontecendo com eles agora…”

Para quem não viu, segue o trailer abaixo:

Clari Maga
Publicitária, escritora e cinéfila de carteirinha