Artigos Quadrinhos

Plataforma Indica #01: Homem-Aranha Azul

Uma história de amor…

Peter Parker é o alter ego do Homem Aranha, um dos maiores e mais populares super heróis existentes. Uma característica marcante do personagem é o seu lado humano, o mesmo não é um ou se porta como uma divindade como o Thor ou alguns heróis que integram a Liga da Justiça da editora DC Comics. Esse lado humano de Peter nos permite uma empatia muito grande, ocorrendo muitas vezes uma aproximação íntegra com o herói. Outrossim, empatia é a palavra chave da graphic novel Homem Aranha Azul. O nível de conexão entre o Homem Aranha e o leitor é tão magnificente que as vezes é difícil pensar que o enredo é ficção. Convenhamos a vida imita a arte. E a arte dessa graphic novel manifesta-se na história de amor entre Gwen Stacy e Peter Parker. Se a primeira não tivesse falecido diante das ações malignas do Duende Verde, ela teria mantido o título de amor da vida de Parker… não haveria espaço para Mary Jane e o famoso vocativo tigrão. Quando pensamos na Gwen, a primeira imagem remetida é da HQ relacionado a sua morte, contudo Homem Aranha Azul não se abstém ao superficialismo. A obra mostra começo, meio e fim de uma das maiores histórias de amor da ficção. Por fim, se permita ler o áudio que Peter Parker grava durante o dia dos Namorados como uma forma saudosa de relembrar e manter o seu amor vivo pela sua eterna menina de cabelos loiros.

“Acho que, quando tento entender… entender como me sinto às vezes nesta época do ano, eu me sinto triste. Como a cor azul. Não que eu não goste de azul, mas… é uma cor triste. Como o Jazz… Como o Blues…”

Peter Parker

Plataforma Indica sempre aos sábados trazendo uma dica do mundo geek para você.

Ângelo Valentin
Um poeta se aventurando como crítico de cinema!