Artigos Filmes

Arquivo Cinematográfico | #02 Christopher Nolan e o século XXI – o que esperar de Dunkirk?

Com a estreia de Dunkirk se aproximando, nada mais justo que enaltecer o trabalho de Christopher Nolan nas últimas décadas.

Tendo uma das melhores filmografias do século XXI, Nolan é definitivamente um dos maiores diretores da atualidade. Dirigiu filmes como Amnésia, A Origem, Batman: O Cavaleiro das Trevas, Interstellar e agora está em época de lançamento de seu mais novo longa-metragem: Dunkirk, que vem recebendo pilhas de críticas positivas em diversos tabloides estrangeiros.

O filme irá abordar a segunda guerra mundial e os avanços da Alemanha rumo à França, se passando em maior parte nas praias de Dunkirk. O filme irá, mais uma vez, contar com a trilha sonora de Hans Zimmer e a primeira música, “Supermarine”, não deixa a desejar.

Christopher Nolan nasceu em Londres. Aos sete anos, costumava pegar a câmera Super-8 de seu pai para gravar curtas-metragens com suas figuras de ação. Seu tio, que trabalhava na NASA, lhe enviava inúmeros vídeos do lançamento de foguetes, os quais eram editados por Nolan em sua própria casa. Tais influências fizeram com que o garoto viesse a desejar a carreira cinematográfica ainda em sua pré-adolescência.

Formou-se em Literatura pela Universidade de Londres e começou a realizar pequenas produções. Tornando-se diretor, roteirista e produtor mais tarde, Nolan dirigiu seu primeiro longa em 1998. As críticas foram positivas para um filme de baixo orçamento (tendo contado com uma média de três mil euros para fazer o filme). Apesar da pouca popularidade, Christopher viria a ganhar nome dois anos depois, com a estreia de Amnésia (2000) – que acabou por ser considerado um dos filmes mais inteligentes e filosóficos sobre a natureza humana pela crítica.

Trabalhou com Al Pacino e Robin Williams em seu terceiro longa, Insônia, aumentando sua influência dentro da indústria cinematográfica. Sua carreira alavancou após o lançamento de Batman Begins, o que resultou em uma das franquias mais famosas do homem-morcego e concedeu um óscar para Heath Ledger como coringa.

A Origem, um de seus mais famosos filmes, já é considerado um clássico por algumas pessoas, por ter revolucionado todo um novo ponto de vista cinematográfico, assim como Interstellar, que recebeu influências de 2001 – Uma Odisséia no Espaço e foi aclamado pela crítica, público e até mesmo pela academia.

Com o peso do nome de seu diretor, uma interessante premissa e esplêndida música tema, o que podemos esperar de Dunkirk é, nada mais, que uma aclamada obra-prima do cinema. O diretor disse que não tem um padrão estético em seus filmes, que a desenvoltura dos mesmos lhe diz o que deve fazer ou não com a câmera. “É o filme mais agressivamente subjetivo que já rodei”, declarou.

Nolan insistiu que a história não será essencialmente bélica, e sim um suspense. O filme foi projetado para as salas IMAX. Promete ser a experiência visual mais próxima de como estamos acostumados a ver a realidade, afirmando que se aproxima do telespectador ao mesmo tempo em que reafirma sua época.

Dunkirk não fala de heroísmo, mas de humanidade.” contou Nolan,“O único que você quer desses caras é que sobrevivam.”

O longa tem sua estreia marcada para a próxima quinta-feira (27/07).

Lara Arruda
Maníaca por arte e cinéfila assídua.